Google+ Followers

segunda-feira, 23 de julho de 2007

Big Brother: PERSONALIDADES BORDERLINE.





Não foi com grande espanto que ouvi logo de manhã a notícia, dada de forma humorística pelo Sr. Nuno Markl, que mais um concorrente do Big Brother foi detido pela GNR. Não sei de quem se trata, aliás a única série do Big Brother que vi foi a primeira, mas pelos vistos corresponde a um pasteleiro chamado Bruno, que agora é suspeito de assalto á mão armada, car-jacking, favorecimento de prostituição, tráfico de armas, etc... O que à partida não faz pensar tratar-se de um tipo calmo. Já o outro concorrente, que salvo erro até chegou a editar um livro (que país este...) também foi acusado de assalto á mão armada - outro tipo calmo. Claro que no seguimento recordei-me da violência verbal e física que caracterizava o tipo que quase fez a Sónia levantar voo, impunemente penso eu... a moça nunca chegou a apresentar queixa, de facto, nem precisava, uma vez que se tratou de um crime público, transmitido em directo para milhares de pessoas... e que passou impunemente (que país este...).
Tendo em conta que a Endemol, a produtora do programa, realizou intensivos castings com avaliações de perfis psicológicos para seleccionar os concorrentes para o Big Brother, só posso chegar à conclusão que o objectivo era ter reunidos na mesma casa tipos borderline espumando agressividade pelos cantos da boca. Assim, só me espanto o facto daquilo nunca ter dado molho a sério e o mais adrenérgico que existiu foi a coça que a pobre da Sónia apanhou. Aparentemente, pelo menos dois dos tipos seleccionados apresentam níveis de perigosidade importantes... Se calhar seria boa ideia a Endemol começar a fazer castings para sabermos a quem se devem aplicar atitudes profiláticas... Big Brother is watching you.

1 comentário:

  1. Quem será o próximo do BB a ser detido?? Hehehe
    Já estou como o Telmo (aquele concorrente muito suigeneris do BB1), disse a um jornal: - Qualquer dia fazem um Big Brother na cadeia.

    ResponderEliminar

Comentem o que vos apetecer. Viva a liberdade de expressão!