Google+ Followers

segunda-feira, 11 de março de 2013

Hoje fui feliz

Hoje fui feliz. Acordei de manhã cedo, uma hora antes do despertador, fixei a hora projectada no tecto e decidi levantar-me. Os números vermelho-escarlate 26.02 não podiam ser reais... não existem essas horas. Estava a sonhar, na realidade não tinha acordado ainda. Fixei novamente o tecto e o arco-íris estava projectado. Olhei de lado, vi-me a flutuar no espelho do roupeiro. Não estava na diagonal como habitualmente. A almofada que cai tinha sido apanhada não por mim. Fui feliz até acordar. Tudo não passou de um sonho, de um sinal incompleto, de significado indeterminado. Seria uma versículo. O meu conhecimento da bíblia é parco e na realidade não creio que exista alguma cá por casa.  Finalmente acordei dentro do meu sonho embora ainda a dormir. Um sonho dentro de um sonho. Fiquei sem saber o significado do 26.02. Quiça uma data. Tudo se mistura no meu espírito. Acordei finalmente e enrolei uma mortalha. De manhã cedo, só podia estar doente. Não se enrolam mortalhas de manhã, toma-se o pequeno-almoço. Apetecia-me relaxar. Inspirei profundamente até que o vermelho-escarlate se estendeu desde os números imutáveis no tecto às minhas conjuntivas. Inspirei suavemente e sorri. Acordei novamente dentro do meu sonho. Continuava um sonho dentro de um sonho dentro de um sonho. Não fumava, não existiam números escarlates, não se ouvia ao fundo Velvet Underground - "Sunday Morning". Sobretudo porque é segunda-feira e tenho que ir levar os miúdos à escola antes de ir trabalhar. Acordei cansado após 5 horas de sono agitadas dentro dos meus sonhos. Não existia um fio condutor. Pareciam matrioskas, cada uma mais colorida e complexa que a anterior. Finalmente acordei, bebi um ristretto e fumei um cigarro. Hoje fui feliz, mas não soube.

3 comentários:

  1. E o que é que fumaste ontem à noite? :)

    ResponderEliminar
  2. LoL... O habitual marlboro light... Nothing else... Isto é um mero exercício de escrita. ;) Beijos PS: Mas se calhar devia, pelo menos ria-me mais vezes perante toda a merda que nos envolve, neste momento ,neste país à beira-mar plantado.

    ResponderEliminar

Comentem o que vos apetecer. Viva a liberdade de expressão!