Google+ Followers

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Sweet Disposition

Hoje à tarde fiz algo que há muito não fazia. Soube-me bem. Às vezes esquecemos o conforto das pequenas coisas. A temperatura da sala estava a ideal. A almofada colorida fofinha e envolvente. A mantinha cor-de-laranja por perto. A luz fraca envolveu-me. A música embalou-me. Fechei os olhos e adormeci rapidamente. Dormi uma sesta daquelas que quando acordamos não sabemos muito bem onde estamos. Foi o caso. Soube-me muito bem. Sonhei com intensidade, daqueles sonhos que parecem realidade. Hoje à tarde a conversar com os meus filhos chegamos à conclusão de que os sonhos podem ser a vida real de alguém que está acordado enquanto nós dormimos. Assim, temos sempre duas vidas. Só a que dos sonhos é mais estranha. Bem, às vezes não. Mas o meu sonho de hoje à tarde foi tudo menos normal. Na minha casa, encontrava-me com um casal de namorados do tempo de escola. Ele um verdadeiro idiota, sempre o foi, acho que acabou em porteiro de discoteca, daqueles agressivos e de boné à banda. Fazia parte do grupinho do mesmo tipo que fazia merda na comida dos outros. Ela engraçada mas submissa. Não faço a menor ideia do porquê entrarem no meu sonho. Não os vejo há anos. Na realidade andavam no meu liceu mas se trocámos duas ou três palavras durante a nossa vida foi muito. Mas no FB somos grandes amigos. Just Kidding. No entanto estavam no meu sonho e eu estava deitado de costas no sofá no colo dela enquanto olhava pela janela e vi uma nave espacial a passar por cima do meu prédio. Achei tudo uma bizarria. Levantamos-nos e espreitámos pelo buraquinho da porta à espera que um alien entrasse pelo terraço adentro. De repente sinto-me abraçado pelas costas por outra colega de liceu da qual neste momento não me consigo recordar. Esqueci-me. Mas no sonho consegui-a identificar perfeitamente. O curioso é que toda esta intimidade era pura amizade no meu espírito e eu conseguia senti-lo. Sempre consegui distinguir afecto de luxúria. De facto sou uma pessoa táctil. Toco nas pessoas. Provável defeito taurino meu. Mas no meu espírito sempre diferenciei aquilo que é desejo e erotismo do que é puro afecto e amizade. Serei eu o alien? Maybe. De repente acordei sem saber onde estava.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Comentem o que vos apetecer. Viva a liberdade de expressão!