Google+ Followers

domingo, 13 de janeiro de 2013

resiliência

Quanto tempo se consegue resistir a alguém que não nos deseja. Quanto tempo se consegue resistir a alguém que nos diz amar mas foge no primeiro momento. Quanto tempo é possível alguém manter-se à espera de alguém que desaparece no momento seguinte. Quanto tempo? Quanto tempo é possível? Quanto tempo é possível dobrarmos-nos e voltarmos à postura inicial. Qual a resistência da resiliência. O combustível amor não dura eternamente se a chama não for alimentada. É utópico pensarmos que os outros estarão sempre presentes. Um dia a resiliência deixa de ser um conceito aplicável e a amnésia total invade-nos o espírito. Abandona-se aquilo que já há muito nos abandonou. Um dia as contas de e-mail, os telefones, as campainhas, os telemóveis, os pombos-correio, as memórias, as fotografias, os postais, os presentes, as emoções tudo se esfuma em nada e dá-se um passo em frente. Tudo tem limites. E o limite é a anulação do amor próprio. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comentem o que vos apetecer. Viva a liberdade de expressão!