Google+ Followers

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

(Sem título)

Há textos que padecem de títulos. Os rótulos, essa tendência universal da actualidade, só servem para guardar em caixinhas as nossas próprias frustrações. Continuo sem perceber essa necessidade humana de arquivar e rotular emoções, comportamentos, vivências, opiniões e atitudes, como se fossem estanques e não se interceptassem. Na maioria das vezes o que se passa mesmo é uma amálgama de intersecções. Não há branco ou preto, certo ou errado, feio ou bonito etc ou etc. As coisas misturam-se e dependem da luz e hora com que as confrontamos. Cada vez mais combato-me a mim mesmo essa necessidade de rotular e organizar no meu pensamento aquilo que se me depara. É a minha luta contra a mesquinhez. Tudo é um grande tutti-frutti. Que se fodam os rótulos e os títulos, que só servem para, numa atitude adolescente, continuarmos-nos a comportar em grupinhos e a discriminar tudo aquilo que não se encaixa nos valores preconceituosos pré-concebidos... E uso este pleonasmo só para dar força às misturas. A vida é uma orgia.
PS: Continuo a ficar impressionado pelo facto da maioria das pessoas que aqui caiem venham à procura das mamocas da Diana Chaves que são as palavras-chaves mais prevalentes na estatística deste blog. É a prova viva que o engodo sexual continua a atrair pessoas para esta teia. O que também comprova que a maioria das pessoas que navega serão homens à procura das mamas da Diana Chaves. É universal, por alguma razão a viúva negra tem tanto sucesso em atrair vítimas...

1 comentário:

  1. Rita Jotta de Oliveira25 de setembro de 2009 às 20:56

    Continuas a escrever coisas que gosto efectivamente de ler! Só lamento não ter tido tempo para perceber se pensas tudo o que escreves...
    Os teus textos são uma lufada de ar fresco na minha literatura actual!

    (e sim, também não entendo o sucesso das mamas da floribela!)

    ResponderEliminar

Comentem o que vos apetecer. Viva a liberdade de expressão!