Google+ Followers

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

o meu barbeiro Fonseca। Nuno Mark। e companhia।


O meu barbeiro da infância chamava-se Fonseca. Isto já nos tempos de Lagos. Em Lisboa ia com o meu pai a uma barbearia para os lados dos Restauradores. Era clássico após o corte de cabelo irmos até à pastelaria Suiça para um lanche hipercalórico. Em Lagos era o Fonseca. Recordo-me da sua silhueta anorética, sorriso simpático no rosto, a pequena bata de barbeiro de cetim amarelo e a ameaça constante de um corte na orelha se não estivesse quieto. Espanto-me como o pobre homem me conseguia cortar o cabelo. O corte: o típico dos barbeiros. Menino, risca ao lado, e curtinho atrás. Posso agradecer ao meu pai esses traumas estéticos da infância. Nunca mais consegui pôr os pés num barbeiro. Ou corto o cabelo em cabeleireiros unisexo, normalmente por senhoras, ou no máximo dos máximos aceito que um qualquer cabeleireiro half-macho cheio de tiques e maneirismos me corte o cabelo. No entanto uma coisa posso estar certa: por muito mau que fosse o corte de cabelo, e as fotografias de criança atestam essa condição, em qualquer circunstância seria sempre melhor que qualquer música do David Fonseca a solo. Confesso que gostava dos Silent Four. Eram diferentes do habitual. Agora a sede de protagonismo do David Fonseca em cantar a solo votou-o para o banal. A expressão máxima é esta nova canção com assobios que já não se aguenta. É tão pouco original. O tipo irrita-me um bocadito, aquela postura de estrela... bahhhh. Mas enfim, deverá haver quem gaste dinheiro naquela junk music comercial. Para terminar: outro tipo que me começa a irritar é o Nuno Markl. Eu até gostava dele, do seu sentido de humor... etc etc etc. Mas cada vez mais o tipo passa vida a vangloriar-se da sua fama recém-adquirida. Já me chateia. É pena que estes tipos em Portugal quando passam do anonimato para as revistazecas se julguem com uma estrela na testa. Ou então se calhar é só inveja minha. :) É pena. Seja como fôr... estou a precisar de um corte de cabelo.

Nota: Continuo a ser fã da Antena 3 e a ouvi-la todos os dias de manhã. Nuno Marco, tenho esperanças que voltes a ter os pés na terra, tinhas muito mais graça... antes de te gabares de todos os bens materiais que conseguiste adquirir...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comentem o que vos apetecer. Viva a liberdade de expressão!