Google+ Followers

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Black Hole


Um buraco negro clássico é um objeto com campo gravitacional tão intenso que a velocidade de escape excede a velocidade da luz. Nem mesmo a luz (aproximadamente 300.000 km/s), pode escapar do seu interior, por isso o termo negro (se não há luz sendo emitida ou refletida o objeto é invisível). O termo buraco não tem o sentido usual mas traduz a propriedade de que os eventos em seu interior não são vistos por observadores externos. Teoricamente pode ter qualquer tamanho, de microscópico a astronômico (alguns com dias-luz de diâmetro, formados por fusões de vários outros), e com apenas três características: massa, momentum angular (spin) e carga elétrica, ou seja, buracos negros com essas três grandezas iguais são indistinguíveis (se diz por isso que "um buraco negro não tem cabelos"). Uma vez que, depois de formado, o seu tamanho tende para zero, isso implica que a "densidade tenda para infinito".
fonte: www.wikipedia.org

Um buraco negro é uma enorme pia cósmica que, contra a vontade própria, suga todos os corpos, energia, luz, etc etc etc para o seu interior lançando-os numa espiral sabe-se lá onde. Ou então, transforma-os na ausência total de matéria - ou seja, anti-matéria. Provavelmente só estou a dizer disparates, mas astrofísica não é propriamente o meu forte, mesmo após as leituras de Carl Sagan e S. Hawking. Seja como fôr... porque raio me lembrei eu de pôr no meu blogue uma foto de um buraco negro, a definição da coisa e a minha leitura pessoal do próprio. Se alguém tiver alguma ideia compartilhe-a. Eu já tenho uma ideia, mas não a conto a ninguém.

1 comentário:

  1. A resposta estará no que estavas a fazer quando te lembraste disto?

    ResponderEliminar

Comentem o que vos apetecer. Viva a liberdade de expressão!